Programas de Afiliados e os Problemas com o Google

Olá leitores! Como estão?

Estive lendo um post no Professional Blogger onde o autor Diego Soares, mostrou sua “revolta” perante as “punições” que o Google vem fazendo as lojas virtuais que muitos blogueiros estão implementando em seus blogs.

Para quem nunca viu uma loja virtual, ela é uma aplicação que obtém informações de uma grande loja, como o Mercado Livre, Submarino, Lojas Americanas, Buscapé, TodaOferata e outros. De posse destas informações, o sistema exibe as palavras-chave mais buscadas ou dá a opção do usuário buscar por um produto. Assim, vários produtos são exibidos, e em cada um destes produtos existe um link para a grande loja com um parâmetro indicando de qual afiliado o “possível comprador” veio. Ao efetuar a compra o afiliado recebe uma percentagem da venda.

A revolta do Diego (Professional Blogger) é que recentemente sua loja virtual foi considerada conteúdo duplicado, depois de ter mais de 100 mil páginas indexadas no Google:

Nessa brincadeira, eu já havia conseguido cerca de 100 mil páginas indexadas no Google, e acredito que poucos conseguiram esse número com um simples loja…

Em seguida, ele faz um questionamento interessante:

O que aconteceu? O Google simplesmente removeu a loja do Bruno, removeu a minha loja dos termos de busca, e eu até acredito que várias pessoas foram prejudicadas também!

E a última pergunta para começarmos a nossa discussão:

Quem é o culpado? O Bruno? O Google?

Antes de qualquer discussão, vou aproveitar para definir como se caracteriza o conteúdo duplicado. O conteúdo duplicado é caracterizado quando o Google (ou outro mecanismo de busca) varre a internet e encontra uma replicação de um conteúdo ou parte dele. Assim ele tem um impasse: qual das duas páginas é mais relevante se ambas possuem o mesmo conteúdo?

Isto é facilmente resolvido pelo Google analisando o comportamento da Web. A página que será a mais importante é a que está em um domínio de mais autoridade e que possui uma maior quantidade de links apontando para ela.

Vamos fazer uma analogia simples: considere que o conteúdo de duas palestras seja o mesmo, mas um palestrante é o Erick Schmidt (CEO do Google) e o outro é o Fábio Ricotta (eu). Quem vocês acham que terá um público maior? Logicamente o Erick, pois ele tem mais autoridade perante toda a sociedade.

Isto acontece da mesma forma com os mecanismos de busca. Não adianta ter 100 mil páginas, 200 mil páginas, se o seu conteúdo é o MESMO do Submarino, do Mercado Livre ou de qualquer outro mais autoritário que você.

É um trabalho muito cruel este da loja virtual em site pequenos, pois você sempre está prestes a desaparecer nas buscas pelo conteúdo duplicado.

Creio que existam várias sugestões boas para melhorar a sua loja virtual, que é o que o Diego disse em um comentário no post:

O Google é muito esperto, mais eu estou elaborando um script em php para alternar os textos exibidos nos produtos, serão mais de 100 mil expressões de palavras, criadas com base no título dos produtos, principalmente dos notebooks… Vamos ver no que dá!

Creio que esta sugestão do Diego possa gerar alguns problemas a longo caso, mas tenho uma sugestão ainda melhor. Por quê você não cria uma área para reviews, onde os seus usuários podem classificar e dizer tudo sobre o que acharam do produto. Isto nunca será duplicado, pois cada site tem os seus usuários e possuem as suas idéias e experiências únicas.

Fazendo esta abertura o seu site ganha muito mais conteúdo, variações de palavras-chave dentro dos reviews e mais respaldo perante aos mecanismos de busca, que identificam que você está produzindo um conteúdo adicional.

Ainda sugerindo, invista o seu tempo em ferramentas para divulgação dos seus produtos (da sua loja), como um link para divulgar no Twitter, envio de produto por email, envio em redes sociais de conteúdo. Isto nunca é demais, pois com mais divulgação, suas chances de ganhar links aumenta.

Espero que este post seja de grande valia para a comunidade e espero ter ajudado com idéias criativas para o Diego e todos os outros.

Um abraço!

11 opiniões sobre “Programas de Afiliados e os Problemas com o Google”

  1. Pingback: Fábio via Rec6
  2. Pingback: Anônimo
  3. Eu tb havia lido a reportagem no Professional Blogger. Sinistro né? A questão é que como a maioria da monetização dos sites vem através do AdSense, o Google pode “incentivar” a todos só usarem a “jeito google” de ganhar dinheiro. Ou seja My Way or HighWay

    :)

  4. Oi Cristina,

    Não sei viu… eu acho difícil pensar em privilégios assim no Google pelo simples fato da confiança mundial no serviços que eles prestam. Se alguém confirmar algo assim, pode ser a maior perda de credibilidade da história.

  5. Fábio,
    Muito bom você levantar essa questão, pegando um exemplo prático e dando sugestões.
    E teve gente achando que minha pergunta e preocupação no GSM erá básica…

    Uma correção, na frase:
    …MESMO do Submarino, do Mercado Livre ou de qualquer outro mais autoritário que você.

    Na verdade o correto seria algo +/- assim:
    …MESMO do Submarino, do Mercado Livre ou de qualquer outro que é mais autoridade que você.

    A palavra autoritário está com o uso incorreto.

    Quanto a sua sugestão de reviews é super válida, estou pretendendo há algum tempo usar nos nossos sites, mas até onde ele conseguiria reviews no site dele? Será que os usuários/compradores não colocariam reviews no site do Submarino, ML e outros?

    Eu não conheço o Diego Soares pessoalmente, portanto talvez eu seja leviano em afirmar alguma coisa, mas aparentemente ele desenvolveu algum algoritmo para gerar e diferenciar o conteúdo recebido por XML. A questão que fica é que os algoritmos do Google são muito mais eficientes, inclusive para identificar conteúdos gerados de forma artificial. Um exemplo bem conhecido é quando alguem publica uma versão de um site em outra língua usando tradutores automáticos e que são identificados de forma muito fácil pelo Google. O que o Diego quer fazer talvez seja bem fácil de identificar, pois não será algo natural.

    Abraços
    Flávio Raimundo

  6. Oi Fábio,

    Parabéns pelo blog!

    Sim, sobre minha opinião sobre o Google, hoje já não tenho tanta confiança nele como antigamente.

    Fiz a otimização do site de um cliente que era um antigo anunciante do Google Adwords e assim que o site desse cliente atingiu a primeira página do Google e o mesmo parou de anunciar, coincidência ou não, o site dele foi penalizado pelo Google. Qual foi a solução? Revi todas as diretrizes, solicitei a reconsideração do mesmo, e o cliente acabou tendo que voltar ao Adwords.

    Prefiro acreditar em coincidência, mas logo após uma semana de atingir o posicionamento desejado, o site dele é penalizado. Já otimizei vários clientes e procuro sempre seguir as diretrizes do Google, mas só com esse cliente que era anunciante Adwords ocorreu este fato.

    No Live.com e no Yahoo o site continua na primeira página na busca por “hotel em fortaleza”, mas no Google só aparece se pesquisar pelo nome do hotel (Hotel Porto Futuro).

    E mais, sites com excessivos spams de palavras-chaves continuam na primeira página e não são penalizados.

    Abraço!

  7. Fábio, tudo bem?

    Que honra ser linkado por este blog…

    Esse sistema de autoridade do Google parece uma sabotagem disfarçada, digo isto porque o minha loja gera dinheiro e tem uma estratégia para multiplicar os links rapidamente, principalmente pelo fato de estar rodando no domínio do http://www.websapiens.net! O Google não penaliza Mercado Livre, Americanas e o próprio Submarino, sendo que facilmente encontramos conteúdo duplicado entre eles…
    O Google está fazendo algo similar ao que fez no passado com os links “nofollow”.
    Várias idéias que você mesmo sugeriu são válidas, e pretendo aplicar algumas delas no meu script, vamos esperar a próxima desculpa do Google quando eu atingir 200 mil páginas indexadas…

    Abraços e sucesso(o blog está show de bola),

    Diego Soares

  8. Pois eu estive na besteira de colocar links das Americanas.com no meu site (fiz isso perto de uma semana atrás) e, além de ser bastante complicado o processo porque, uma vez aprovados no programa, apenas conseguimos os links após uma pesquisa sobre cada produto ou loja que queremos incluir, ainda me deparei já algumas vezes com aquela página de pesquisas da Telefônica (aquela mesma que aparece quando digitamos um endereço errado a partir de uma conexão ADSL Do Speedy) dentro do Iframe das lojas Americanas.com. Até estava contente com aqueles anúncios animados que vinham nos Iframes, mas não resisti a esse insulto e retirei os ditos da minha página, porque se já abominava essa pitada não desejada da Telefônica em minhas digitações errônias, pior ainda em concordar na propagação disso dentro do meu próprio site.

  9. realmente complicado,
    quando vejo sites copiando o conteúdo integral de outro e colocando um link de referência me pergunto, o que é isso ?? [tinha pensado outra expressão :D]
    acho correto o google inibir a cópia .. afinal, a Internet toda virou o seu banco de dados :D.
    cabe aos programas de afiliados ou blogueiros de plantão criarem alternativas.
    tinha uns caras redirecionando links via js/DOM ..esse pode ser um caminho.

  10. Olá Fábio,

    Eu sou iniciante nessa área de (Blogueiros) e mesmo com isso estou em debates de todas as formas pois está sim sendo um prazer dialogar com novas pessoas que se copnectam no mesmo sistema “BLOGGER” mas é isso ai.essas complicações existentes pela google está complicando tanto que já tem pessoas expandindo suas pages com outras caracteristicas tais como anúncios p´roprios isso ser uma das perdas frequentes que a google vai obter daqui pra frente..vlw…

  11. Como também postei no blog principal, acredito que a cópia não seja algo legal e nem profissional, então acredito que o google estava em seu direito, pra que ter dois sites com o mesmo conteúdo???
    Mas não cheguei ver o site de comprar do autor que foi desindexado…mas achei a atitude certa do googles nesse caso imparcialmente falando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>